ads

Destaque1
Destaque2

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Viagens curtas de moto


quarta-feira, 20 de novembro de 2013

A magia da Serra Catarinense

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Diário de bordo de uma YBR 125 ED (parte 3)

sábado, 18 de maio de 2013

Não entre em alagamentos com sua moto.


A temporada de chuvas chegou, e com ela temos que caprichar mais na manutenção de nossas máquinas. Nestes dias acabei tendo que passar por alagamentos e o resultado não foi nada bom. Antes de mostrar o que acontece com motos que passam com água na metade da roda, vou mostrar algumas dicas para preservar a sua moto na temporada de chuvas.

  • Evite guardar a moto suja - a sujeira vai atuar como acumulador de umidade, facilitando a formação de pontos de oxidação. Em motos com muitos cromados isso é um problema ainda maior.

  • Lubrifique a corrente diariamente - a água lava a corrente e retira toda a lubrificação. Portanto se pegar chuva, lubrifique o mais rápido possível.

  • Não deixe a moto na chuva - as vezes é difícil, mas o ideal é que se não houver garagem ela fique protegida por uma capa, evitando que a água entre principalmente na ignição e nos cabos de comando.
E agora o mais importante, se possível, não entre em alagamentos. O porquê você vê nas fotos a seguir.

Esta semana acabei me vendo no meio de um alagamento em um dia caótico e sem ter como voltar, o jeito foi seguir em frente. Acabei tendo que por a moto em mais três outros alagamentos para poder voltar para casa. Na volta me dei conta de que estava sem o freio traseiro, imaginei que seria por causa da água e assim que secasse ele deveria voltar, mas não foi o que aconteceu. No sábado então resolvi desmontar a moto para averiguar o estrago que a água tinha feito e fiquei surpreso, foi pior do que eu pensava.

Pra começar a corrente estava totalmente sem lubrificante e já com bastante oxidação. A folga inclusive estava bem grande, provavelmente o uso sem lubrificante aumentou o desgaste, mesmo que tenha sido por pouco tempo.



Ao começar a desmontar a roda traseira o eixo já me dava o anúncio do que estava por vir, água, muita água.



Foi então que após a retirada do espelho eu pude ver o motivo da falta de freio, cubo cheio de água, lama, e muito ferrugem em apenas 1 dia de uso. Mas a situação estava pior ainda nos rolamentos, ausência de graxa em uns, e graxa contaminada com água em outros. Se eu continuasse a rodar assim, em breve teria problema de rolamento, que pode vir a causar vários outros problemas.

As rodas possuem retentores de borracha nas extremidades junto dos espaçadores, porém, a função primordial deles é evitar que poeira e areia entrem no alojamento dos rolamentos, não água. Estes retentores devem estar devidamente engraxados ou eles se desgastam rapidamente, e assim permitirão que mais água entre, e com bastante facilidade.



Limpar os rolamento não é uma tarefa muito fácil, muito menos prazerosa. É necessário retirar toda a graxa contaminada e água, somente consegui com o auxilio de jato de ar comprimido, e só então podemos recolocar a nova graxa para rolamentos e montar todo o sistema. Existem rolamentos que possuem retentores de borracha, estes apresentam uma maior vida útil e melhor resistência a penetração da água, porém são mais caros e por isso não equipam as motos de baixo custo.

Portanto, minha recomendação no caso de você não possuir uma moto de trilha, é de que nunca se entre em alagamentos, somente se for extremamente necessário e evitando que a água passe de 1 palmo. Se ainda assim não houver condições de evitar, então faça a manutenção o mais rápido possível, ou o resultado para sua segurança e seu bolso não será dos melhores. Muito cuidado nos próximos dias. Grande abraço.


sexta-feira, 17 de maio de 2013

Recife, Veneza brasileira

Cronica de um motociclista, sexta feira, 17 de maio de 2013. Ahh a sexta feira, último dia de trabalho, dia do happy hour, o dia mais feliz da semana, ooopaa, não esta. Acordei e não sabia o que me esperava neste dia tão esperado por todos que trabalham e estudam. Não me dei conta mas deve ter chovido a noite toda, saí de casa achando que estava preparado e equipado para encarar o temporal. Logo na saída de casa já me deparo com um alagamento na altura do joelho, então vamos pelo caminho alternativo. 10 km extras e descubro que não devia ter saído de casa, mas já que estava ali, vamos em frente. Em frente para quê e para onde? por onde quer que eu fosse dava de cara com alagamentos e engarrafamentos monstros. Estava literalmente ilhado, nunca tinha saído de casa em um dia como este e de moto ainda por cima. Um quase acidente ali, uma derrapada aqui, uma bota encharcada acolá e decidi que deveria voltar para casa. Mas como? sim, como voltar. Faz um horinha aqui, outra acolá, pega atalho, sobre calçada, empurra moto e após 3 h certinhas na rua, eu consigo finalmente chegar em casa.

domingo, 17 de março de 2013

São Paulo proíbe o uso de capacetes em postos de combustíveis

Esta lei não nos afeta em Pernambuco, mas caso estejamos de passagem por SP seremos obrigados a cumpri-la. Toda legislação que diz respeito aos motociclistas, mesmo que não nos afete diretamente, nos afeta de alguma forma, então devemos participar também de alguma forma.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Onde está o maior perigo? Nos “corredores” ou nas ultrapassagens?

Para responder a essa pergunta é preciso definir que corredores são espaços (ou áreas) estreitos formados entre carros parados em paralelo no trânsito, onde não há a possibilidade de “ziguezaguear” por entre os veículos. Ultrapassagens são ações de condutores que se aproveitam dos espaços (ou áreas) livres e largas quando o trânsito de veículos está em movimento, propiciando a chance de passar de uma faixa de rolamento à outra.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

A vida em duas rodas.

Conquistei a liberdade em 2006, pois em 2006 eu comprei minha primeira moto, uma CB400 ano 81, passei mais tempo na garagem dando manutenção que rodando :) acabei vendendo-a no fim do mesmo ano, e comprei...   outra CB400. Eh, parece que virei fã. De lá para cá fui acometido de uma doença sem cura, a moto dependência. Graças a moto fiz muitos amigos, alguns de longe através do site www.cbbrasil.com.br, outros bem mais próximos. Hoje junto com a CB possuo uma YBR 125, que vou relatar aqui seu diário de bordo, sendo mais uma fonte de informações, ajudando os que pensam em adquirir uma moto para transporte urbano. Como tenho certa afinidade com a área de mecânica e sou atualmente meu único mecânico, faco as manutenções por conta própria em casa mesmo, assim estarei sempre postando dicas e tutorias do tipo faça você mesmo. Segurança também será muito abordada por aqui, afinal, nunca é demais. Algumas aventuras e viagens também serão foco de artigos. Sendo assim, vamos que vamos, pé na estrada que a vida é curta, porem duas rodas são mais que suficientes!


Sejam bem vindos!