quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Mecânica - Use bem sua embreagem


Olá pessoal, nós gostamos muito de rodar, mas as vezes esquecemos de dar aquela manutenção básica. Fazer as manutenções periódicas no tempo certo significa segurança em primeiro lugar, e de quebra ainda economizamos um trocado no futuro, já que uma moto bem cuidada vai durar mais. Vamos começar a abordar temas a respeito da manutenção de motocicletas e o primeiro artigo é sobre embreagem.
A embreagem é um item fundamental de qualquer veículo, mas a coitada fica lá esquecidinha até o dia que acontece algum problema. Então vamos ver como é o funcionamento dela e algumas dicas de uso e manutenção.

A embreagem tem a função básica de desacoplar e acoplar o motor à transmissão, tornando possível a troca de marchas e a saída da moto de forma suave, amortecendo também vibrações e trancos. Como podemos ver na ilustração abaixo, a embreagem é um sistema complexo, porém não é nenhum bicho de sete cabeças, ela é basicamente um sanduíche de discos. Explicando de forma simples, a campana recebe o movimento do virabrequim do motor e abriga os discos de fricção, que são os responsáveis por transferir o movimento do motor para os discos separadores, que por sua vez estão presos ao cubo e ao platô. O cubo central então transfere o movimento para o eixo da caixa de transmissão. Em geral todo este sistema trabalha "banhado" pelo óleo do motor, não imerso, mas recebe óleo diretamente ou na forma de respingos.

Sistema de embreagem de moto

Quando o piloto aperta a alavanca de embreagem, um cabo de aço, ou, nas motos mais caras um sistema hidráulico como o utilizado nos freios, ativa um mecanismo de liberação que comprime as molas e empurra o platô, aliviando a pressão das molas sobre os discos, permitindo que eles deslizem entre si. Quando soltamos a alavanca no guidão, a pressão das molas é reaplicada no platô e os discos são “colados”. Como curiosidade técnica, quando a moto passa a noite na garagem, o óleo escorre e os discos ficam mais secos, e por isso que pela manhã percebemos aquele tranco forte quando engatamos a marcha pela primeira vez. Para evitar isso, basta segurar a embreagem por uns 3 segundos e dar uma leve acelerada para que os discos descolem e o óleo possa lubrificá-los. Esta dica sempre funcionou em todas as minhas motos.

Como podemos ver, os atores principais são os discos de fricção e as molas, os discos são os responsáveis por transferirem a força e o movimento do motor para a transmissão, já as molas tem a função de manter os discos unidos, sem que deslizem um no outro.

Molas de amortecimento da campana
Quando um dos itens da embreagem ou todo o conjunto começa a falhar, nós podemos ter os seguintes sinais:
  • Barulho
  • Trepidação
  • Acionamento pesado
  • Dificuldade no engate e desengate de marchas
  • Tranco nos engates, principalmente na primeira marcha.
  • O motor gira em falso, o giro do motor sobe e a velocidade não.

Desgaste ocasionado pelo atrito dos discos
O barulho geralmente é ocasionado por folgas na campana, ou no encaixe dos discos. A campana possui um jogo de molas que absorvem os trancos dos engates e do motor, quando chegam ao limite de uso elas deixam uma folga que ocasiona ruídos.  Já a trepidação pode ser consequência de empeno nos discos, geralmente ocasionado por um uso intenso ou vícios. A dificuldade e o tranco na hora do engate, em geral é causado pelo desgaste do local de encaixe dos discos na campana, ocasionando o que alguns mecânicos chamam de dente de jacaré. É fruto de mal uso ou pela chegada do fim da vida útil da peça mesmo, porém este sintoma pode ser uma simples falta de ajuste do cabo, por sinal o cabo também pode ocasionar aquele acionamento "pesado" por falta de lubrificação ou desgaste do próprio cabo, uma simples regulagem e lubrificação pode resolver, neste caso o correto é retirar o cabo da moto, lubrificar e verificar se o mesmo corre livre em sua capa, se não estiver então só a substituição resolve.  O defeito mais comum é quando a embreagem começa a "patinar", já não oferece mais a capacidade de transferir o movimento do motor, o vilão desta vez é o desgaste dos discos e molas. Muitas pessoas trocam apenas os discos, e esquecem de verificar as molas que têm um papel fundamental, pois são elas que exercem a força que une os discos de embreagem. Trocar somente os discos fará com que o problema retorne mais rapidamente.

Agora que você já tem o conhecimento do funcionamento e dos defeitos, vamos as dicas para que sua embreagem dure mais.

Evite queimar a embreagem, quando você deixa a embreagem deslizar para iniciar um manobra de "zerinho" ou para subir uma ladeira muito íngreme, você está castigando seriamente o sistema de embreagem. Esta manobra pode levar ao desgaste em pouquíssimo tempo devido ao calor excessivo a que o sistema será submetido. Do mesmo jeito trocar as marchas sem soltar o acelerador pode ter o mesmo efeito.

Evite parar a moto nos sinais e ficar com a primeira marcha engatada, se não for por questão de segurança em certos momentos, então não há motivos para isso. Use o ponto morto e nas saídas não acelere bruscamente, saia suavemente e acelere progressivamente.

Mantenha o óleo no nível correto e faca as trocas na hora certa. Pois eh, ninguém pensa que isso pode afetar a embreagem, mas a embreagem trabalha banhada em óleo, portanto o óleo pode impregnar os discos de fricção com contaminantes e a falta de lubrificação dos discos também pode ocasionar desgaste prematuro.

Regule o cabo frequentemente, o cabo de embreagem deve ter tem uma folga que varia de 1 cm a 2 cm, por isso é sempre bom ler o manual da sua moto, a informação esta lá. Se a folga não estiver correta, pode acarretar o enforcamento, de forma que o sistema vai trabalhar sempre como se você estivesse puxando um pouco o manete, ou caso a folga esteja grande demais a falta de curso do acionamento vai sobrecarregar toda a transmissão com os trancos, como as engrenagens, pinhão, corrente e buchas. É muito comum ver motociclistas que deixam uma folga imensa na alavanca, porque não gostam de curso longo, ou do peso, ou etc... Está errado, regule como manda o manual, folga demais e pouca folga acabarão com seu sistema rapidinho. Se não dá mais para regular no manicoto, então procure pela regulagem que existe em todo o cabo, e que geralmente fica embaixo do tanque, se ainda assim não deu, troque o cabo.

É isso aí, nosso objetivo aqui é que você tenha uma noção de como funciona um dos sistemas primordiais de sua motocicleta, e também ajudar a conduzi-la de uma forma mais econômica e tranquila. As dicas passadas não são regra, cada um tem seu estilo de pilotagem, porém cabe a cada um avaliar e decidir o melhor. Afinal vale mais economizar um pouco ou estar sempre tendo aquela emoção quando estou pilotando minha máquina? Ai é com você. Um grande abraço.


Conjunto de embreagem
Cubo













Texto: Demetrius Sanguinete