segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Campanha dê passagem, seja educado.



Muito tem se falado e gasto em campanhas de educação no trânsito, e eu vejo a quantidade de pessoas que reclamam dos "maus" motoristas, contudo, como ando todos os dias de moto pela cidade e viajo nos finais de semana, consigo ver que falar é fácil difícil é fazer, não é mesmo? O brasileiro se ocupa mais em atacar a causa dos problemas quando ela está nos outros.

Falando em educação, nos vem que devemos respeitar o direito dos outros, e todos têm o direito de trafegar pelas vias públicas, assim como o dever de obedecer às leis, e antes de continuar meu pensamento, vou lembrar que o CTB diz em seu Artigo 62 que a velocidade mínima não poderá ser inferior à metade da velocidade máxima estabelecida, respeitadas as condições operacionais do trânsito e da via.

Sendo assim, e mesmo não estando tão lentos, quando estamos andando em grupo em rodovias não duplicadas, nosso grupo tem o hábito de conceder passagem aos carros e caminhões que estão em maior velocidade que a nossa. Ai você me fala: mais ele não deveria respeitar minha posição e ultrapassar somente com segurança? SIM, mas como em caso de acidente quem vai levar a pior somo nós, não custa nada ser educado e atencioso em dobro. Não dizemos que quem anda de moto dirige para os outros? então porque não sermos educados pelos outros também? Gentileza gera gentileza, e o contrário é verdade também.

O que me motivou a escrever tudo isso foi um episódio que aconteceu comigo na BR 232, onde dois motociclistas estavam na nossa frente a uma velocidade muito baixa e andando lado a lado, dificultando a ultrapassagem dos que queriam ir mais rápido. Então, o que custava a eles fazer uma fila indiana indo mais para a direita e sinalizar aos carros e comboios que vinham atrás que eles podiam ultrapassá-los? O que resultou disto foi que o carro na nossa frente, e imediatamente atrás deles, fez uma ultrapassagem perigosa botando todos em perigo, se o afobado batesse no carro em sentido contrário iria ser um verdadeiro boliche motociclístico. Lembrando que em grupos muito grandes essa ação pode ser um tanto complicada, mas já realizamos com até cinco pilotos e tivemos êxito total.

Portanto, se você está em grupo ou até sozinho, sinalize para o carro de trás e dê passagem, ele vai passar feliz e mais devagar, não expondo você ao perigo. E ainda mais, lá na frente ele vai lembrar do gesto e retribuir a outro motociclista a mesma gentileza. E você, pratica gentileza no trânsito?