sábado, 22 de fevereiro de 2014

Mêcanica, corrente com ou sem retentor?


Nós sabemos que corrente de transmissão equipa a imensa maioria das motos fabricadas, mas na hora de substituir nos deparamos com dois tipos, a corrente com retentor e sem retentor. Você sabe a diferença básica entre elas?

A corrente utilizada em motocicletas é a corrente de rolos. A transmissão por correntes de rolos é composta por uma engrenagem acionadora ou motriz, que no nosso caso é o que chamamos de pinhão, e não pião, pois pião é aquele brinquedo de criança, uma engrenagem movida (a coroa), e por uma peça ou lance de corrente. Este sistema pode assegurar um alto rendimento de aproximadamente 98% em condições corretas de trabalho.

As correntes de rolos são fabricadas com diversos elos, sendo cada um deles composto de placas, roletes, buchas e pinos. A corrente se acopla à engrenagens motora (pinhão) e movida (coroa) que transmitem o movimento. Os dentes das engrenagens se acoplam com os roletes rotativos, onde o desgaste é reduzido pois acontecem contatos do tipo deslizante e rolante.

A corrente sem retentor é a corrente comum, a mais barata de ser fabricada, ela depende exclusivamente da lubrificação que aplicamos nela, se não lubrificarmos ela vai se desgastar rapidamente. Ela é exatamente igual à mostrada na foto anterior.

Já a corrente de retentor tem este nome pois ela possui O-rings que vedam os pinos e buchas, evitando que água e poeira ou outros fluidos contaminem a lubrificação especial de fábrica. O-rings são juntas em formato de anel, são compostos geralmente por elastômeros (que comumente chamamos de borracha), e foram desenvolvidos para ser uma junta seladora flexível que aguente alta temperatura e não deixe vazão de líquidos ou gases. Pois bem, conforme a figura abaixo mostra, o O-ring veda o contato das placas laterais, onde estão fixados os pinos, com as placas onde estão as buchas. As buchas e pinos são lubrificados de fábrica com uma graxa de alta qualidade geralmente a base de molibdênio, e os O-rings evitam que a graxa vaze e ou líquidos e poeira contaminem-na. Com isto não há a necessidade de lubrificar constantemente e a sua vida útil é muito maior, pois os pinos e buchas, que são quem efetivamente transmitem a potência ao longo dos elos, estarão sempre bem lubrificados.

Aí agora vocês estão se perguntando, e as corrente V-rings, X-rings, entre outras? Cada fabricante procura aperfeiçoar o seu produto, e com isso alguns desenvolveram O-rings em formatos diferentes, que garantem maior durabilidade e menor atrito, o nome normalmente vem do formato do O-ring.

As correntes com retentor são mais caras, mais pesadas e oferecem maior resistência ao movimento, podendo roubar um pouco de potência em motos de baixa cilindrada, mas requerem menos manutenção, fazem menos barulho e tem uma durabilidade muito maior, aumentando assim o conforto do piloto. Se bem cuidadas elas ultrapassam 30 mil km de uso com segurança. Agora a escolha é com você.



Texto: Demetrius Sanguinete