quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Planejando viagens de moto. Parte 4, Financeiro e segurança.

E chegamos ao último capítulo do nosso guia. A parte financeira é sempre importante em qualquer projeto que fazemos, pois sem dinheiro infelizmente nada acontece. Como em todas as etapas já mencionadas antes, mais uma vez organização é a chave do sucesso. Como não sou nenhum abastado, minhas viagens contaram com orçamento no limite, até agora todas deram certo e ainda voltei com um trocado pro lanche.
Apesar de ser a última parte, esta etapa permeia todo o projeto, e ainda depende das saídas das outras etapas, como por exemplo, qual a quilometragem total para podermos calcular o combustível utilizado pela moto. Precisamos também elencar na nossa planilha de bagagem tudo que iremos levar, e assim podemos definir o que precisamos comprar. Vamos lá então.

Com relação a parte 1 deste guia, o Planejamento, vamos inserir no nosso orçamento o custo do combustível, utilizando para isto a média de gasto de nossa moto x a quilometragem percorrida, utilize sempre a pior média que sua moto fez, nunca considere o cenário ideal. Como exemplo, a Fazer fazia média de 30 km/L, porém, como ela iria pesada, optei por fazer os cálculos com 28 km/L, assim como aumentei o preço do litro do combustível em 50 centavos. Quando saí em direção ao Peru a gasolina custava R$ 3,00 em Recife, mas no interior do Brasil, exceto em GO, ela é bem mais cara, e na fronteira chegou a beirar os R$ 4,00. Esses valores são de Maio de 2015.

Ainda na parte do planejamento da viagem, temos de saber onde vamos dormir todos os dias, fiz algumas ligações interurbanas e descobri que R$ 60,00 era uma boa média para hospedagem dentro do Brasil, multipliquei pelo número de dias que iria precisar e inseri na planilha.

Agora vamos a bagagem, essa parte é sem mistério. Após determinar o que vou levar, faço uma seleção das coisas que não tenho e insiro o valor delas na própria planilha de bagagem, depois jogo a soma no financeiro e pronto. A mesma coisa com relação a manutenção da moto, elenco as peças necessárias e insiro o valor. Quanto mais cedo você comprar melhor, pois dá para encontrar excelentes preços na internet. Lembre-se de deixar uma folga também no valor do óleo para trocar no caminho, cheguei a encontrar disparidade de até 100% e preferi pagar a perder tempo.

Agora vem a parte que exige um certo trabalhinho. Se o seu objetivo com a viagem é chegar em um destino e "turistar" por lá alguns dias, então você precisa fazer a parte comum a qualquer turista "comum" que pega um avião e chega em horas ao seu destino.

É preciso levar em consideração o câmbio da moeda local e sempre deixar uma folga. As vezes é mais desvantajoso trocar a moeda no destino final. Para o peru eu não tive opção, não havia forma de trocar Real pelo Novo Sol em Recife, mas eu consegui alguns com um amigo que tinha ido um mês antes. E Troquei mais umas centenas logo na fronteira com câmbio 1x1. Que estava um pouco mais barato que em Cusco. Recomendo trocar o máximo que puder logo ali na fronteira.

Consulte os sites dos países, no Peru podemos consultar os sites oficiais e ver os preços dos boletos turísticos, trens, entre outros. No caso da Argentina podemos comprar antecipadamente o boleto para cruzar a baía no Buquebus. Podemos usar blogs e sites para tirar dúvidas e procurar pelo preço das entradas de locais e eventos turísticos, valor de táxi, passagens de ônibus, etc.

Segurança:

Vou fazer um adendo aqui para falar sobre segurança e como levar o dinheiro.
Claro que nós vamos escutar todo tipo de coisa sobre os perigos do caminho, os riscos de assalto e tudo mais. Nada disso me abalou, risco corremos todos os dias, o que importa é termos um pouco de cuidado nas nossas ações. Sempre evitei levar muito dinheiro, uso um cartão de débito em uma conta que não vai me trazer prejuízo caso eu perca ou tenha o cartão roubado. Nesta conta eu deposito apenas o dinheiro da viagem. Caso você não queira usar uma conta em banco, temos diversa opções de cartões pré pagos para utilizar em viagens, uma rápida consulta na internet por "Travel Money" nos traz praticamente todas as opções.

Apesar das vantagens de levar um cartão, é necessário levar dinheiro para trocar no exterior e para ocasiões que não seja possível utilizar o cartão, como um hotel não planejado em caso de emergência, ou uma oficina na beira da estrada. Mas tenha muito cuidado com este dinheiro, utilize uma bolsa segura para carregá-lo, eu prefiro não deixar na moto. Deixe dentro da carteira apenas o suficiente para o dia, cuidado ao mostrar dinheiro em público. Abasteça apenas utilizando cartão, se o posto não aceitar vá em outro. Evite divulgar seu caminho a desconhecidos, essa parte é difícil, pois uma moto cheia de bagagem chama muita atenção, por isso haja com cautela e com discernimento. E por último, conselho que mãe deu, evite andar a noite por locais desconhecidos!

Pois bem amigos, finalizamos nosso guia de viagens longas, como eu tinha dito lá no inicio, este é apenas um guia, o resto virá com a experiência. Também temos diversos outros blogs e sites com diversas matérias do mesmo tema, pesquise e leia bem antes da viagem, planeje bem e tudo sairá da melhor forma possível.

Arquivos para download:

Abaixo você pode fazer o download da última planilha. Esta planilha em especial, contem links para as outras, portanto, se você não modificou o nome das planilhas anteriores, esta receberá automaticamente a soma dos valores dos itens das planilhas de bagagem e manutenção, desde que estejam na mesma pasta. Caso tenha alterado, baixe-as novamente, ou simplesmente ponha os valores manualmente.

Download


Boa viagem!





0 comentários:

Postar um comentário